quarta-feira, 20 de abril de 2011

QUANDO NOVAS FOLHAS DE OUTONO FORRAM A RUA

em queda livre
as folhas dos plátanos
são tão sutis
que quando caem
o chão sente um beijo...

eu aqui
na vastidão triste
deste bar vazio...

e o último sorriso
da mulher do caderninho
foi ainda no tempo
do colégio...

então saio para o vento
sem deixar gorjeta 
eu menos propenso
a cair na sarjeta...

saio para o tempo
sem olhar o relógio
eu menos sofisticado
viciado de rua...

eu que devia estar no sal
mas que fiquei ao sabor
das fases da lua...

http://twitter.com/hiverdaniel
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

12 comentários:

  1. Mesmo triste o seu poema, invejo esta sua capacidade de escrever, de dialogar com sentimentos e palavras, de dar forma ao que se passa no mundo vasto da mente, do sentir.

    Mas neste tem uns trechos muito bonitos, a primeiro e a última estrofe, me encantaram.

    beijo, bom final de semana.

    ResponderExcluir
  2. Daniel...

    Em minha opinião o outono é a estação mais triste do ano... Acho que é por que ele precede o inverno e eu odeioooo o frio! Rsrs.

    Mas é sem dúvida a estação mais bonita. Assim como esse seu poema: triste, mas irresistível belo!

    Coincidência, postei sobre o outono.

    Um beijo enorme!

    ResponderExcluir
  3. Oi Daniel....

    Lindo seu poema...se parece muito com a estação ...ou seja tem cara de outono...

    no momento estou outonal...

    desejo lhe uma FELIZ E ABENÇOADA PÁSCOA!

    meu carinho!

    Zil

    ResponderExcluir
  4. Querido amigo, Páscoa é amor, ressurreição e renovação, abra seu coração e deixe que o amor faça sua eterna moradia. Tenha uma Feliz e abençoada
    Páscoa.
    Beijocas de chocolate.

    ResponderExcluir
  5. ...poeta querido,

    uma felicíssima Páscoa regada
    a muita paz, é o que o meu
    coração neste momento
    deseja à você, e a
    todos os seus
    amores.

    beijos!!

    ResponderExcluir
  6. Seu blog é muito bom por isso vim até o seu espaço e gostei muito do que li por aqui. Tenho um blog Tb gosto d++ de poemas. E estou te seguindo se VC puder da uma passada La no meu blog. E VAI SER UM PRAZER SE PUDER ME SEGUIR...Bejs . Déia.........
    Esse é o link do meu blog
    http://wwwdeiablog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. belo, belo! este poema tem algumas imagens literarias preciosas como as da ultima estrofe!
    parabéns, poeta!
    beijocas

    ResponderExcluir
  8. O vento faz com que as folhas pareçam bailarinas em pleno balé.

    E mesmo que não tenhas sentido o gosto das fases da lua, sinta o calor do sol e o brilho das estrelas.

    Linda poesia, encantante.

    ResponderExcluir
  9. Pois eu sou sal...
    sal de mar...
    ele me acolhe e hei-de um dia nele me deixar embalar...

    ResponderExcluir
  10. Todo homem é só só que alguns não sabem disso! Outono acentua essa solidão não sei se é ruim ou se é bom!

    ResponderExcluir
  11. Fazia tempo que não dava uma lida em vc...adorei como sempre...

    ResponderExcluir

Adorei a sua companhia no caminho dos plátanos. Volte quando quiser!