quinta-feira, 13 de agosto de 2009

O CORAÇÃO QUE SOFRE E SUAS LÁGRIMAS GUARDADAS EM COFRE

Quando o coração chora;

chora mesmo e pra valer...


Chora fora de hora,

chora fora de área,

e agora...


Soluça lágrimas secas,

solitárias-secretas,

intrínsecas-ensimesmadas,

caladas-discretas...

Soluça falta de soluções!

Por que desde a idade da pedra

ele tem estado numa página ímpar

enquanto seus olhos donos procuram um par.


São oito espessas camadas de concreto

aprisionando refratário coração

pelos cimentos, arames e ferros

da falta de emoção...


Seria eu aqui um Buendía

transformando as moedas dos meus sentimentos

em trabalhados peixinhos dourados de torpor?


Ou seria eu um novo "Giramundo Sabino"

que desaprendeu o amor?


Sem respostas
vou pela sombra repetindo experiências "Casablancas"
com o coração rarefeito
e cheio de sonhos que "E o vento levou..."?

15 comentários:

  1. "... São oito espessas camadas de concreto
    aprisionando refratário coração..."
    (sempre tem, no todo, uma frase que me conquista).

    Um coração que desaprendeu o amor... Muito bom, Daniel! Muito bom!

    Consolo ou agonia, a verdade é que só se desaprende o amor até que ele nos domine outra vez.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. surpreenda sua solidão, abra a mente para novos sonhos, saia desta rotina insana, deixe partir o que já não é, permita-se novos ares. as marés vem e vão, vão e vem, o amor também...
    Daniel, abraço meu

    ResponderExcluir
  3. Muito bonito!
    Os sonhos? Vão uns, vêm outros.
    Presta atenção ao vento.


    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. O Vento, POeta...anda mesmo a ventar em nossas ventas...o Everton tbm escreveu sobre o Vento, eu tbm...rsss. esse Vento passou mesmo por nós...

    Lindo POeta, deixe que o Vento traga-te outros amores, sabores, cores, prazeres, deve-se sair da redoma, triturar o concreto do peito, e respirar um novo Vento.

    Beijo de Vento Lilás!

    ResponderExcluir
  5. Meu lindo e querido amigo...

    Posso lhe dizer: Se tiver que CHORAR...chore....mas chore mesmo e sinta a dor...pois a única maneira que encontrei na minha vida de mandar minhas dores embora, foi tendo a CORAGEM de olhar de frente para a dor, encará-la, sentí-la e mostrar para ela quem era o dono de quem...

    E...me LIBERTEI!!!

    Um beijo com muito carinho...e lindo final de semana!!!

    Biazinha

    ResponderExcluir
  6. Continua procurando... "o carteiro toca sempre ??? vezes"

    ResponderExcluir
  7. Lindo!

    Quem não pára pra chorar?
    O que não pode é estacionar de vez...

    Pare um pouquinho, e chore um pouquinho, 550 Km... Rs*

    =)

    ResponderExcluir
  8. Olá Daniel, lágrimas secas doem mais, pois são discretas e ficam assim gota a gota dentro da alma, aí lembro daquele ditado...água mole em pedra dura, tanto bate até que fura...e tudo que se represou ganha a liberdade...basta permitir-se, como alguém já citou aí em cima...
    Um abraço na alma...bom domingo

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Estás falando de força e delicadeza.
    Rigidez e fragilidade.
    Segurança e risco.
    .
    E novamente os Polos opostos e não há mesmo segurança nas coisas do coração. Razão x emoção.Cérebro e coração (suposta sede onde o timo, guaradria as emoções)
    Amor e ódio. Sensação e concretude.
    .
    E muitos valores guardados em cofre - valores palpáveis - são roubados e o coração não guarda o que é palpável e ai está uma imensa ironia:
    o que não é tangível por vezes fica guardado, recluso, contido, por anos e anos a fio.
    E não nos roubam e não se esvai.
    Amor duradouro.
    E o que é seguro nisto que sentimos e que nos provoca as dores mais lancinantes e que arranca soluços e que não tem solução?
    O que será que será?
    .
    E sim, é preciso ser forte para amar e abrigar em si, a fragilidade e delicadeza que é o amor.
    Temos coragem de pular da pedra da gávea mas não temos coragem de amar e depois perder, porque tememos a dor de amar e não tememos as dores de uma fratura exposta na perna.
    .
    E amar é exercício de morrer. Porque é vida quando chega e nos assalta mas é morte quando se vai, também de assalto.
    lágrimas são delicadas,
    o pranto convulsivo é forte e somente os fortes convulsionam publicamente seu pranto que é sinal de fragilidade e humanidade.
    .
    Coração e as dores guardadas de amores e não se explica e não se controla se, mesmo guardadas, alguém te roubar um amor.
    Poder e controle está na base de tudo que é viver.

    Beijos, querido.
    Tu sabes, eu volto.

    ResponderExcluir
  11. Oi Daniel...
    Já a alguns posts tenho sentido ao entrar aqui uma certa tristeza no ar...Eu espero que seja somente palavras compondo um poema.
    Mas se por ventura for sentimentos que refletem o coração, saiba que lhe desejo muita felicidade e sorrisos.

    Não vou alongar o escrito!
    Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  12. Porquê meu coração chora?
    Batendo intensamente
    Sinto muito... sinto tua falta!
    Tu nao sai da minha mente!

    Só dá tu em minha vida!...
    Em meus sonhos tu sempre aparece!
    Tu mora em meu peito
    Por isso meu coração não te esquece!

    Porquê isso acontece?
    Porque vivo assim?
    Incomodada a todo instante
    Por esta saudade sem fim?

    As respostas já encontrei...
    Estão no fundo do coração!
    Isso simplesmente acontece
    Porque tu é minha paixão!

    Se meus olhos falassem o que o pensamento não diz...
    Tu saberia meu querido!
    Tu é inesquecível...
    Tu é minha vida...

    Por isso este pobre coração chora
    Batendo acelerado...
    Mas, tudo isso acontece na vida
    De uma mulher apaixonada...

    Meu coração chora!...
    Chora sem pudor!...
    Impulsionados pelos sentimentos
    Meu coração chora por amor!...

    Beijo Daniel...

    ResponderExcluir
  13. Daniel,
    Lembrou-se uma declaração do Chico Buarque. Ele disse que aquele amor ficou ímpar, porque não foi correspondido.
    Hum, esse Buendia me lembrou a saga de um dos meus autores preferidos, o Gabriel Garcia Marquez...
    Um abraço e ótimo fim de semana

    ResponderExcluir
  14. Daniel, do amor nunca desaprendemos, apenas o guardamos em um lugar seguro, longe do alcande das nossas ilusões vãs.

    Beijos

    ResponderExcluir

Adorei a sua companhia no caminho dos plátanos. Volte quando quiser!